Filme com nosso dinheiro

Porta dos Fundos e a Lei do Audiovisual.
Publicado em 23/06/2017

Consultando o Diário Oficial da União do dia 29/04/2015 (Link aqui) observamos o seguinte:

Ou seja, o grupo de humoristas recebeu a autorização para captar sete milhões e meio de reais através da lei 8.685, a lei de fomento à atividade audiovisual. Suponha que eles consigam captar a metade do valor que foi autorizado. Isto daria a pequena fortuna de R$ 3.750.000,00. Uma pequena fortuna de dinheiro público que nós estaremos doando para uma trupe de humoristas bem sucedidos, que não precisariam de 1 centavo para produzir um filme.

É um absurdo que o Brasil gaste milhões de reais para financiar um filme de um grupo de humoristas donos do canal mais bem sucedido do youtube brasileiro. Esses caras não precisariam de ajuda pra produzir filme.

Se o Brasil realmente deseja incentivar o desenvolvimento de projeto audiovisual, incentive quem NÃO TEM dinheiro pra produzir alguma coisa. Incentivar um grupo que teria todas as condições de produzir um filme sem incentivos, um grupo que certamente, em algum momento, iria produzir um filme, por conta própria, mesmo que não tivesse incentivo... não é incentivar... é dar dinheiro!

Se um grupo já teria todas as condições pra produzir um filme...se um grupo certamente produziria tal filme mesmo que não houvesse incentivo... então... o dinheiro do governo não é incentivo... é apenas dinheiro. Percebe? Neste caso não é dado incentivo... é apenas dado DINHEIRO.

O que aconteceu aí, é a mesma coisa que o Brasil querer fazer uma lei de incentivo ao comércio e dar 7 milhões de reais pro grupo Pão de Açucar. Se você quer fazer uma lei de incentivo ao comércio, ajude os pequenos comerciantes.

Ou então, fazer uma lei de incentivo à educação e dar 7 milhões pra faculdade Estácio de Sá.

Isso não é incentivo. É dar dinheiro!

Incentivo você dá a aquele que não teria condições financeiras de produzir qualquer coisa. E através do seu incentivo o indivíduo passa a ter a possibilidade de produzir.

Dar dinheiro para aquele que já teria todas as condições de fazer uma produção lucrativa e viável...é apenas dar dinheiro.

Eu escrevi outro texto sobre a lei Rouanet, que é uma lei irmã a esta de incentivo audiovisual. Neste outro texto eu comento com mais detalhes o absurdo que é este tipo de lei em um país de analfabetos funcionais.

A nossa legislação é uma vergonha. É um absurdo entregar milhões de reais de dinheiro público pra uma trupe de humor e saber que no fim das contas não está havendo NENHUM incentivo a cultura.

Porque esta trupe conseguiria produzir o filme de forma absolutamente lucrativa sem precisar de incentivo fiscal. Mas além do lucro natural que eles vão ter com as bilheterias, ainda receberão os milhões dos cofres públicos. Dinheiro de imposto que vai deixar de ser arrecadado para ir para o bolso ... de humoristas.

Eu não vou fazer trocadilho...nem dizer que o Brasil é uma piada.

Talvez seja de seu interesse
8,81 ms