Super foro privilegiado

A mentira sobre o fim do foro privilegiado.
Publicado em 23/06/2017

Este é um vídeo muito rápido. Mas é tão rápido quanto importante.

Ontem, dia 31/05, os nossos políticos, se escondendo covardemente atrás do anseio popular pelo fim do foro privilegiado, aprovaram, na cara de pau, um privilégio maior ainda para eles.

O engraçado é que os jornais ainda perceberam o que aconteceu. Ou se perceberam, preferiram fazer com que você não perceba.

No apagar das luzes, os senadores aprovaram um substitutivo que diz o seguinte:

Isso significa que para um político ser preso por crime comum, agora terá que ser julgado em primeira instância, confirmado em segunda instância e confirmado pelo STJ.

Pelo entendimento atual do STF, qualquer pessoa pode ser presa, se condenados em segunda instância. E no caso dos políticos, hoje, o político comete crime comum, é julgado pelo STF e se for condenado, cadeia.

Mas agora, os senadores colocaram de forma explícita, que ELES e apenas ELES (nada mais privilegiado que isso), deverão ser condenados pelo STJ, após condenação em primeira e segunda instância, para poderem ser presos por crimes comuns.

Você percebe?

Eles estão aprovando o foro SUPER PRIVILEGIADO para eles. Porque antes, eles tinham o foro privilegiado. Ou seja, eram julgados apenas pelo STF, mas uma vez julgados e condenados, iriam presos.

Agora, eles terão que ser julgados por um juiz de primeira instância. Se condenados, serão julgados por um tribunal de segunda instância. E, ao contrário de todo cidadão comum, eles não poderão ser presos ainda. Terão que ser julgados pelo STJ, e só então poderão ser presos.

Percebe?

Eles substituíram o STF por STJ, mas adicionaram a primeira e segunda instância ANTES de serem julgados pelo STJ.

E ficará instituído o SUPER FORO PRIVILEGIADO para eles.

Talvez seja de seu interesse
0,33 ms